E se...?

E se não consigo? E se bloqueio? E se me dá uma branca? E se não entro? E se ....

Estas perguntas terão ocupado muitos dos pensamentos dos adolescentes nos últimos meses.

E se não consigo estudar?

E se bloqueio no exame?

E se me dá uma branca?

E se não entro na Faculdade?

No trabalho com adolescentes consigo perceber como estas perguntas se multiplicam e geram uma espiral de ansiedade que muitas vezes acaba mesmo no bloqueio, ou na branca ou na desistência.

A ansiedade (ou melhor, 0 quadro de ativação fisiológica geral do organismo) é ótima porque mobiliza para a ação. E é horrível quando atinge um nível demasiado elevado. Aí, torna-se destrutiva ou paralisante.

Como interromper essa espiral?

Como recuperar o controlo e manter o desempenho?

Uma proposta é substituir o “E se ...?” por “O que posso fazer quando ...?”

E ficaria assim

O que fazer quando não conseguir estudar?

O que fazer quando bloquear no exame?

O que fazer quando tiver uma branca?

O que fazer quando não entrar na Faculdade?

Qual a diferença?

A primeira versão daquela pergunta vai dar origem a mais perguntas - o que aumenta a incerteza e a aleatoriedade, e por isso o nível de ansiedade.

A segunda orienta para a procura de respostas, de recursos e alternativas, assegurando o sentido de agência. E por isso diminui a ansiedade.

No dia em que muitos adolescentes receberam os resultados da sua candidatura à Faculdade fico entusiasmada por aqueles que entraram na sua desejada opção.

E fico a torcer para que aqueles que não entraram, que este não seja o primeiro momento em que se perguntam “E agora?”

© 2019 Isabel Lage & Ana Sá | Proudly created with Wix.com